Vovó e o médico louco

*contém linguagem imprópria (para menores de 18 e maiores de 70).

image

Converso pelo telefone com minha sogra, contando sobre uma consulta pela qual passei com um médico neurologista louco. Enquanto isso, vovó senta ao meu lado e escuta atenta a conversa.
Sem perceber que estou falando com minha sogra, vovó fala sem parar.

Eu conto:
– E aí eu disse que estava com muita enxaqueca e o louco colocou uma música peruana para tocar no computador durante a consulta…

Vovó diz:
– Por que você não mandou ele tomar no cu?

Olho assustada para ela. Vovó sempre foi muito delicada e nunca a tinha escutado falar um palavrão sequer.

– Vó!!! – repreendo assustada.

Volto para a conversa:
– Então,  e depois ele disse que se eu engravidasse minha enxaqueca ia parar. Olha que médico louco!

Vovó solta uma gargalhada nervosa e continua:

– O pinto dele! Que é mole e ele deve ter problema com isso. Manda ele engravidar a mulher dele com esse pinto mole! Aí quero ver só. Safado!

Eu, chocada com a reação dela, a repreendo novamente pedindo um minuto para minha sogra.

– Vó, eu estou ao telefone. E que que é isso? Pode parar de falar besteira, você nunca falou palavrão… – e tento retomar, mais uma vez, a conversa.

– Bom… aí eu disse para o médico que engravidar não era um tratamento para dor de cabeça e que isso era um absurdo…
– Louco! Pinto mole! – vovó grita.

Decido encerrar a conversa e desligar o telefone. Melhor assim antes que piore.

Anúncios